Windows 10 vai conseguir controlar mais os consumos de energia

A procura constante de melhorar o Windows 10 e os consumos de recursos tem levado a Microsoft a procurar soluções pouco esperadas.

A próxima grande atualização deste sistema operativo, a Redstone 3, espera-se que consuma ainda menos energia, graças ao congelamento dos processos que correm em segundo plano.

A maioria dos utilizadores do Windows gosta de ter várias aplicações em simultâneo, usando apenas uma de cada vez. Este cenário leva a consumos de recursos anormais, que muitas vezes não são notados.

No campo dos consumos de energia, estas aplicações são muitas vezes ignoradas, mas na verdade estão a drenar a bateria de forma silenciosa. Este cenário poderá em breve acabar, com o controlo mais apertado e o congelamento de processos que estejam a correr em segundo plano.

O Power Throttling, nome dado a esta nova funcionalidade, poderá ser controlado diretamente da zona de gestão de energia, podendo ser definido um estado de maior controlo de consumos de energia que irá bloquear e controlar as aplicações que correm em segundo plano.

Apesar de ser apenas esperado para a Redstone 3, a próxima grande atualização do Windows, esperada para o final do ano, a mais recente build disponibilizada no programa Insiders tem já presente esta novidade, para que seja testada e melhorada.

Do que a Microsoft informou, esta novidade está para já limitada aos processadores Intel Core de 6ª geração, ou superiores, mas a ideia é tentar adaptá-la a outros processadores.

Esta é mais uma novidade que mostra como a Microsoft está a apostar em tornar o Windows 10 num sistema operativo único e preparado para funcionar em qualquer plataforma, com as melhores performances, ao mesmo tempo que consegue controlar os consumos de recursos essenciais.

Advertisements

Milhares de Windows infetados pelas ferramentas da NSA

As ferramentas da NSA que o grupo Shadow Brokers tem vindo a revelar, mostraram que esta agência esteve preparada durante anos para espiar a Internet.

A última leva de ferramentas dada a conhecer focou-se no Windows, mas a Microsoft veio de imediato revelar que as falhas estavam corrigidas. A verdade não é bem essa e há milhares de máquinas infetadas.

Windows NSA

Tal como se esperava, as ferramentas que o grupo Shadow Brokers revelou recentemente, estão a ser exploradas ativamente, procurando infetar os utilizadores do Windows.

Quando estas foram reveladas, a Microsoft tratou de vir a público esclarecer que as falhas que existiam estavam tratadas e que estas ferramentas eram por isso impossíveis de usar.

A verdade é que a falha continua ativa e pronta a ser explorada. A proteção surgiu com uma atualização que a Microsoft lançou, apenas para o Windows Vista SP2 ou superior, mas que muitos ainda não instalaram, quer por terem máquinas com sistemas não suportados ou porque ainda não foram obrigados.

Windows NSA

Assim, e graças a estes problemas, milhares de máquinas estão agora a ser descobertas com malware, sendo possível usar o backdoor DOUBLEPULSAR para conseguir entrar nas máquinas Windows.

Os números iniciais falam de mais de 15 mil máquinas infetadas nos EUA, mas alguns especialistas prevêem que este número seja 3 vezes superior. É ainda esperado que durante os próximos dias estes números aumentem.

Da mesma forma que a fragmentação afeta sistemas como o Android, também o Windows acaba por ser afetado, especialmente em situações como esta, em que a não instalação de um simples patch tem impacto muito grande na segurança dos utilizadores.

Create a free website or blog at WordPress.com.

Up ↑